Imagens de Alfama

Há um ano havia 22 mil lugares que não davam qualquer rendimento por estarem desactivados ou por explorar

O silo automóvel das Portas do Sol, em Alfama, é o mais moderno do país e também o que teve até hoje o pior resultado financeiro para a Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa (EMEL). Só em 2007 o prejuízo rondou os 150 mil uros.
Segundo dados da empresa, cada lugar de estacionamento neste silo rendeu em 2007 por mês menos de 50 euros, num espaço que tem cerca de 20 mil euros por mês de custos de manutenção, avança a Lusa.
Apostada em reduzir o valor dos custos de manutenção, a EMEL está a renegociar o contrato com a empresa responsável pelo serviço.


O silo custou cinco milhões de euros e abriu em 2005 com um sistema de estacionamento automático que apenas exige ao condutor que coloque o carro num elevador e o deixe fechado.
Um moderno sistema automático instalado nos três pisos do silo encarrega-se de estacionar o veículo e de o ir buscar quando chega o dono.
Apesar de ser igualmente um espaço de estacionamento mais seguro do que os clássicos parques de rua, porque não permite a entrada de pessoas, o silo não tem merecido a confiança dos lisboetas.
«Percebemos que as pessoas não tinham muita confiança em deixar aqui o carro, porque o perdiam de vista. Não sabiam o que lhe acontecia», explicou à agência, Diogo Homem, da direcção comercial/marketing da EMEL.
Para minorar esse sentimento de desconfiança foi instalado um painel junto aos dois elevadores onde se pode ver todo o percurso do veículo até chegar ao seu lugar.
Redução das assinaturas mensais


A redução das assinaturas mensais para cerca de metade (até ao final do ano) foi outra das medidas lançadas este mês pela EMEL, passando os passes mensais do público (horário diurno) para 99 euros (custavam mais de 200), os dos comerciantes para 74 e dos residentes 37 euros.
A EMEL tem a seu cargo 50 mil lugares de estacionamento em Lisboa, 3 mil dos quais em 16 parques espalhados pela cidade.
De acordo com documentos da anterior administração a que a Lusa teve acesso, há um ano havia 22 mil lugares que não davam qualquer rendimento à empresa, por estarem desactivados e/ou por explorar.







In Agencia Financeira.




Nota do autor: Este estacionamento, para alem de muito caro, teve durante vários meses um elevador de automóveis avariados, para além de, em algumas situações, o motorista precisa de esperar mais de 10 minutos pela sua viatura. Retirou-se um campo de futebol de 5 que a Câmara prometeu fazer noutro sitio, que ainda esperamos, para haver mais lugar para estacionar. Na verdade, perdeu-se um campo de Futebol e um parque para crianças e arranjou-se apenas 20.000€ de custo de manutenção numa obra de 5.000.000€. Sem palavras.

2 comentários:

Anónimo disse...

Helder,

Não posso concordar, visto que se não se tivesse feito esse estacionamento os moradores não tinham onde deixar o seu carro.

O que iria mais cedo ou mais tarde afastar de morarem nessa zona.

Cumps,
Diana

Helder Gomes da Silva disse...

Não sei se este estacioamento, que nunca está cheio ou perto disso, faz com que as pessoas queiram vir para alfama. Mas aceito a sua opinião. Penso que o que faz falta é que as casas estejam em condições para poderem viver e ter aquilo que todos nóa gostamis de ter na nossa casa. Como casas de banho e casas que não estejam em risco de cair.

Acresce e nisso dou-lhe toda a razão que isto é um sistem novo que as pessoas não estão habituadas e provoca medo. Com boatos ou não de que se demora muito tempo a ter o carro, mais dificil se torna a implementação.

Acerca de mim