Imagens de Alfama

A População de Alfama recusa-se a aceitar o abandono a que foi deixado o seu Bairro e Património


A APPA - Associação do Património e da População de Alfama decidiu avançar com um abaixo assinado junto da população de Alfama, e de todos quanto os se preocupam e gostam deste Bairro com vista a pressionar a Câmara de Municipal de Lisboa a avançar com as devidas diligências para resolver as situações de abandono com obras paradas que privam a população de Alfama das condições minimas de habitabilitade e tornam este bairro histórico da capital portuguesa um estaleiro de obra que põe em risco população e visitantes e deixa junto destes últimos uma péssima imagem do nosso pais.
Os interessados poderão ler mais informação no site da APPA, ou assinar o abaixo assinado em diversos locais da freguesia assim como online em : http://www.petitiononline.com/alfama

"Bairro islâmico" no Castelo abre em Junho

O "bairro islâmico" situado no Castelo de S. Jorge, em Lisboa, descoberto durante a construção de um parque de estacionamento (entretanto suspenso), abre ao público no final de Junho, após obras de musealização.
As escavações começaram em 1996, mas só agora o núcleo residencial do período islâmico, datado dos séculos XI-XII - e que integra ainda os vestígios habitacionais da Idade do Ferro e do Palácio dos Condes de Santiago - vai poder ser visitado.
A data foi ontem anunciada a embaixadores dos países islâmicos por António Costa, presidente da Câmara de Lisboa, durante uma visita ao sítio arqueológico e ao Núcleo Museológico Islâmico do Castelo de S. Jorge, inaugurado em Dezembro do ano passado e onde está exposto muito do espólio encontrado durante as escavações, desde moedas, cerâmicas, cachimbos e até uma sepultura.
A musealização do sítio arqueológico passa por murar o bairro islâmico e "recriar", em forma de maqueta em tamanho real, paredes e telhados das casas nobres, por forma a dar uma ideia da atmosfera da época, protegendo ao mesmo tempo, os frescos ainda existentes em duas casas, revelou Carrilho da Graça, arquitecto responsável pelo projecto.
A musealização da área arqueológica e a instalação do Núcleo Museológico do Castelo de S. Jorge inscrevem-se no âmbito das acções de requalificação e valorização do Castelo de S. Jorge, enquanto monumento nacional, potenciadoras do desenvolvimento de actividades educativas, científicas e económicas. O investimento total previsto é de 2,2 milhões de euros, avançou a Câmara de Lisboa, acrescentando que, em cerca de três meses, mais de 35 mil pessoas visitaram o Núcleo Museológico.
O sítio arqueológico, que além de vestígios da presença árabe, revela também outras ocupações, como a fenícia e a romana, "mostra como Lisboa tem sido o local de cruzamento de gentes e de povos", sublinhou António Costa.
O presidente da Câmara de Lisboa aproveitou a ocasião para sublinhar que pretende "valorizar Lisboa como a cidade da tolerância". Costa lembrou, a propósito, que já disponibilizou um espaço, em Alfama, para a Comunidade Judaica instalar aí um museu e que estabeleceu uma parceria com a Africa.com para que possa ser criado, na cidade, um centro de arte contemporânea.

In Jornal de Noticias por TELMA ROQUE

Amar Alfama no Destak

O Blog Amar Alfama apareceu em noticia no Destak na Pagina nº 4, no dia 13 de Abril de 2009
Esta era a noticia:

BLOGUEMANIA ALFACINHA
por JOÃO CORTESÃO


Amar Alfama

COMO SURGIU ESTE BLOGUE?
O blogue surgiu com a necessidade de mostrar o que existe de bom e de mau num dos bairros mais antigos da cidade de Lisboa. Existe, igualmente, pela necessidade de defender o bairro que esteve várias vezes ao longo da sua existência em vias de extinção.

QUAL É A OBRA MAIS URGENTE PARA A ZONA DE ALFAMA?
A maior urgência para todo o bairro de Alfama são as obras de conservação e remodelação que duram há mais de vinte anos e que não terminam.(...) Posteriormente devia existir uma campanha para que jovens casais e pessoas sozinhas, igualmente jovens, queiram viver no bairro. Amar Alfama dedica-se a um dos bairros mais carismáticos de Lisboa. Concertos, espaços verdes, segurança, exposicoes, vídeos, comercio, politicas autarquias e ate anúncios de apartamentos fazem parte deste blogue da autoria de Helder Gomes. O autor conta mesmo que, desde que temo blogue, recebe e-mails de pessoas com vontade de conhecer o bairro.

«Inacreditavelmente continuam a acontecer coisa em Alfama que não deveriam existir. Mesmo quando se tem a certeza que tal não foi efectuado por pessoas do bairro.»

Hélder Gomes da Silva

120 Milhões para reabilitação Urbana - 12 dos quais para Alfama e Castelo


De acordo com o plano de acções prioritárias definido pela autarquia, a que a Lusa teve acesso, as obras de reabilitação para arrendamento abrangem mais de 580 edifícios habitacionais, num total de 4.340 fogos.

Os 120 milhões serão usados até 2012 e deverão igualmente ser aplicados na recuperação de 16 equipamentos culturais (12,2, milhões), entre os quais o cinema S. Jorge, onde ainda este ano a autarquia investirá 1,8 milhões de euros.

O núcleo museológico do Castelo de S. Jorge, onde serão aplicados este ano 2,2 milhões de euros, o Palácio Ulrich (Casa Veva de Lima), com um investimento global superior a 1,6 milhões, e a hemeroteca/antigo edifício Record (1,1 milhões no total) são alguns dos equipamentos a reabilitar.

A câmara pretende investir mais de 30 milhões em reabilitação urbana, 6,4 para intervenções da Unidade de projecto Baixa-Chiado, mais de 2,9 no Bairro Alto, dos quais 1,1 na recuperação do elevador da Bica.

Mais de 12 milhões de euros serão aplicados nos bairros de Alfama e Castelo, a maior parte para recuperar edifícios habitacionais para arrendamento.

Para a Mouraria vão mais de 5,8 milhões, a maior parte para recuperar casas para arrendar, e para a Madragoa 142 mil euros, igualmente para reabilitar diversas casas que serão depois arrendadas.

Ainda na área do arrendamento a autarquia pretende gastar mais de 3,3 milhões de euros na recuperação de prédios devolutos.

Em Marvila, a Câmara de Lisboa vai gastar mais de 16 milhões de euros a recuperar fogos para alugar e fachadas e coberturas de prédios e a reabilitar edifícios para serviços e instituições públicas e espaços comuns, infra-estruturas e arranjos exteriores.

Para a reabilitação do equipamento escolar vão mais de 29 milhões de euros, mais de 13 milhões a aplicar já este ano, 9,1 em 2010 e os restantes 6,9 serão usados durante o ano de 2011.

De acordo com a proposta que o vereador das finanças, Cardoso da Silva, leva quarta-feira á reunião de câmara, 58,9 milhões de euros serão pedidos ao Banco Europeu de Investimento (BEI) via Instituto de Habitação e Reabilitação urbana (IHRU), 30 milhões ao Banco Português de Investimento (BPI), 30 milhões à Caixa Geral de Depósitos (CGD) e 15,55 milhões ao Deixa Sabadell.


In Lusa

Acerca de mim